11/09/2006

Trabalho!

Trabalho!

Trabalho!

Trabalho!

Logo três reuniões... Isto começa bem!

Mas foi bom rever colegas e alguns alunos. A minha princesa também apareceu muito feliz. Hoje comeu lasanha!
Ainda não sabe como ficou o esófago depois de mais uma dilatação, mas já consegue satisfazer as necessidades mais elementares: ingerir alimentos sólidos.

Já sabia que este dia ia ser "pesado", mas os alunos estão prestes a regressar à escola e tudo tem que estar muito bem preparado de modo a que não haja muitas falhas.
Falhas há sempre! Somos humanos! Mas estamos a trabalhar para que não se note muito e que o primeiro dia de aulas seja uma festa.
Os alunos estão cansados de uma interrupção tão longa, até porque os dias já não convidam tanto a ir para a praia e porque sentem de forma mais marcada o vazio de nada ter para fazer.
Já sabemos que quando chegarem irão estar mais contestatários e cheios de vontade de falar.
O difícil vai ser calá-los! E sentá-los...

Na reunião geral dizía-nos o presidente: Nada de condescender! Mão firme! Senão... ninguém os cala nem segura.
A escola fica situada na periferia do Porto, numa zona complicada, onde ainda não se conhecem os limites da liberdade. Cada qual pensa e vive a sua própria liberdade sem pensar na liberdade daqueles que estão ali ao lado.
Eu sou livre de fazer...
Eu sou livre de dizer...
Quem quiser que se arranje...
É esta a filosofia que vigora, cada um por si e os outros, não tenho nada com isso.

E fazer-lhes ver e sentir que eles são o outro para os que estão à sua volta?
É difícil, mas consegue-se.

É isto, esta luta constante, que me está a faltar.
Com alunos nunca há rotinas. Todos os dias são diferentes, pois as aulas têm que ser leccionadas, mas os valores têm, também, que ser desenvolvidos.
Apelam, constantemente, à nossa imaginação para que as motivações sejam atractivas e que os seduzam, mesmo que a disciplina seja "uma seca"...

É bom voltar a ver os alunos!

Este ano as coisas vão ser diferentes. Para o nono H eu serei o bicho careta pois, além da minha disciplina - História - vou ser também a Directora de Turma... (É serviço que não gosto de desempenhar pois é mais fácil estabelecer amizades e cumplicidades apenas como professora. Mas, noblesse oblige!)


1 comentário:

Eremita disse...

Felicidades para o novo ano,é do fundo do meu coração que desejo, também luto para que todos os jovens tenham um futuro mais promissor num país em que os valores estão tão decadentes.
Também eu partilho do mesmo ramo profissional,sou funcionária auxiliar.Todos os anos temos ideiais de esperança,mas tocou aqui em algo muito importante,o individualismo que reina em todas as comunidades, cada um que se salve, os outros que se amanhem.Que a chama do AMOR esteja sempre presente nos corações daqueles que amam.
Fiquei feliz pelas notícias da princesa.