14/01/2009

A festa

Vou transcrever o guião da celebração.

É importante referir que, apesar do dinamismo, aconteceu de forma serena e com muita dignidade.

Introdução (feita por um catequizando do 10º ano)

Uma vez, Jesus foi ter com João Baptista e pediu-lhe para o baptizar, mergulhou então nas águas do rio Jordão, como toda a gente.

Hoje, celebramos a Festa Litúrgica do Baptismo de Jesus e revivemos esse acontecimento, que fez de nós filhos de Deus e Igreja de Cristo.

Quatro meninas e dois meninos que se estão a preparar para a primeira comunhão vão pedir para serem baptizados durante a celebração desta festa.

 

Pedido dos Baptizandos

“Nós viemos aqui hoje para manifestar o nosso amor por Jesus, a quem temos vindo a descobrir e a conhecer melhor na catequese. Queremos pedir a esta comunidade da Paróquia de Vilar de Andorinho que nos acolha no seu seio através do Sacramento de Baptismo que hoje vamos receber.”

 

Compromisso dos Pais

“Nós, pais, queremos, hoje, agradecer a Deus pelo dom que nos fez do nosso filho. Apoiamos o pedido que fez para ser baptizado e comprometemo-nos a educá-lo de maneira cristã, ensinando-o, com o nosso exemplo de vida, a amar a Deus e ao próximo.”

 

Compromisso dos Padrinhos

“Nós, conscientes da nossa missão de Padrinhos, comprometemo-nos em ajudar os nossos compadres na tarefa de educar cristãmente o nosso afilhado.”

 

Acolhimento feito pelo Celebrante

“Diana, Andresa, Márcia, Núria, Ruben e João, é com muita alegria que a comunidade cristã vos recebe. Em seu nome, eu vos assinalo com o sinal da cruz e, depois de mim, os vossos pais e padrinhos vão também assinalar-vos com o mesmo sinal de Cristo Salvador.”

 

À porta da Igreja, o celebrante faz o sinal na fronte das crianças, sem dizer nada. Os pais e padrinhos fazem o mesmo gesto e entram com a criança na Igreja, para ocupar o seu lugar.

Depois entra a assembleia, o celebrante com os ministros e acólitos, enquanto se entoa o cântico de entrada. Não há momento penitencial nem Glória.

A celebração decorre normalmente, até à liturgia da Palavra.

Após uma breve homilia, continua o r5itual do Baptismo.

 

Bênção da água

 

Está diante de toda a assembleia a pia do baptismo e sete pequenos cântaros cheios de água. Em voz off, em menino e uma menina do 10ª ano lêem, alternadamente, os seguintes textos:

 

Vamos começar por louvar a Deus pelo dom da água. Depois de cada texto, enquanto se derrama a água do cântaro no recipiente, todos respondem: Bendita sejas. Depois, o Padre Albino vai invocar a Bençao de Derus sobre essa água.

 

O primeiro cântaro de água representa a água do seio materno. Nela estivemos mergulhados e dela saímos para a vida e a luz.

(Andresa derrama a água)

Água da fertilidade, bendita sejas.

 

Todos: Bendita sejas.

 

Um de cada vez, os baptizandos derramam a água na pia baptismal, de forma bem visível para toda a assembleia. A catequista derrama o último.

 

O segundo cântaro de água representa a água da chuva. Água que cai sobre maus e bons e que fecunda a terra.

(Diana derrama a água)

Água da fertilidade, bendita sejas.

 

Todos: Bendita sejas.

 

O terceiro cântaro de água do mar, majestosa, com as suas ondas, qude nos encanta nas férias.

(Márcia derrama a água)

Água dos oceanos, bendita sejas.

 

Todos: Bendita sejas.

 

O quarto cântaro de água representa a água das fontes que corre fresca, limpa e pura, sacia a sede e reconforta.

(Núria derrama a água)

Água reconfortante, bendita sejas.

 

Todos: Bendita sejas.

 

O quinto cântaro de água representa a água dos rios que descem das montanhas. Por onde passa a vida brota e cresce.

(João derrama a água)

Água dos rios, bendita sejas.

 

Todos: Bendita sejas.

 

O sexto cântaro de água representa a água das torneiras que entra nas nossas casas e é tão útil no quotidiano.

(Rúben derrama a água)

Água benfazeja, bendita sejas.

 

Todos: Bendita sejas.

 

O sétimo cântaro de água representa a água baptismal.

Nela mergulhamos para morrer para o pecado e renascer como novas criaturas.

(MC derrama a água)

Água baptismal, bendita sejas.

 

Todos: Bendita sejas.

 

Seguiu-se a bênção da água e de seguida ouviu-se em voz off um menino e uma menina do 10.º ano que leram alternadamente.

 

Mergulhamos na água do baptismo para afogar o homem velho, para matar o que existe em nós de pecado. Morre nessas águas o homem pecador.

Como Cristo foi sepultado num túmulo, nós somos sepultados na água.

 

Ressurgimos como homens novos, purificados, renovados, com uma vida nova, a vida de filhos adoptivos de Deus. É como que um novo nascimento.

Como Cristo saiu do túmulo, nós saímos ressuscitados.

Esta morte e ressurreição, que acontece no nosso Baptismo como dom de Deus, é tarefa para toda a vida.

Vamos agora renunciar ao pecado e professar a nossa fé em Deus e no seu amor por nós.

 

Renunciação e Profissão de Fé

 

O sacerdote asperge a assembleia com água, enquanto se canta o cântico penitencial apropriado.

Seguem-se os baptismos. No fim do baptismo de todas as crianças, canta-se o Glória, após a seguinte introdução, feita pelo sacerdote:

 

Louvemos a Deus, com toda a alegria que sentimos por sermos baptizados.

 

A celebração continua com o ofertório e a liturgia eucarística. Antes do Pai-nosso, faz-se a entrega da luz. Entoa-se o cântico: “Senhor, tu és a luz…”

No momento de Acção de Graças, um catequizando do 10.ºano lê o seguinte texto:

 

Hoje, Jesus, aconteceu festa cá em casa!

Juntamo-nos e acolhemos, de braços abertos, os nossos companheiros que escolheram fazer parte da família.

Seis novos cristãos que já o eram de coração.

E que decidiram fazer caminhada para Ti.

Quiseram conhecer-Te e transportar-Te para qualquer lugar onde se desloquem.

Pela água do Baptismo deixaram que fosse destruído o Homem Velho, aquele que não vê, não pensa, não sente a alegria de Te pertencer nem de se fazer ao Caminho conTigo.

Por essa mesma água foram “lavados” e transformados.

Voltaram a “nascer”.

Deram lugar ao Homem Novo.

O Homem renascido e re-suscitado!

O Homem do Amor, da Ternura, da Alegria, da Vida!

 

As crianças que foram baptizadas, diante do altar, viradas para a assembleia, lêem o seguinte texto:

 

Obrigado, Senhor, por nos escolheres para sermos dos Teus. Não fomos nós que Te escolhemos, foste Tu que nos escolheste e aqueceste os nossos corações para Te levarmos a todo o lado: casa, escola, festas… eu sei lá, para que nunca mais retiremos a nossa mão da Tua, nem sintamos mais que estamos sozinhos.

Conta connosco para anunciar e testemunhar o teu amor aos nossos irmãos e irmãs.

 

 

Entoa-se o Cântico de Acção de Graças e seguem os ritos finais, como de costume.

 

4 comentários:

Sol da manhã disse...

:D :D :D :D :D :D :D

...

:D :D :D :D :D :D :D

...

:D :D :D :D :D :D :D !!!!!!...


Um abraço grande Andante!
SHALOM

Andante disse...

Como tinha prometido, publiquei o guião da Festa mas, não revi o texto e verifiquei que está cheio de gralhas. A pressa nunca é "boa conselheira".
As minhas desculpas.

Beijos peregrinos

Andante disse...

Mais uma gralha e esta induz em erro.
Na invocação do primeiro cântaro, já na parte final depois de derramada a água, deverá ler-se:
"Água que dá a vida, bendita sejas."

A. ANDRADE disse...

É importante saber que cada vez mais as pessoas tem pensado seriamente e dedicado a publicarem suas ideias com clareza e estilo. Parabéns pelo blog. att