18/04/2007

Hoje foi-me oferecido este poema que me permito partilhar, tanto me alegrou e deixou sem jeito:

Hoje, ofereço-te um poema de: Henrique Manuel.

Gostei muito deste poema, por isso, o partilho contigo.

(Foi o João que mo ofereceu. Ele já sabe como gostei. Tinha um ramo lindo de rosas que não sei como o colocar aqui. Ainda estou muito crua nestas andanças e penso que sou muito esperta. ahahahah)


Pétala a pétala

As rosas estão ainda em botão.

No silêncio das tuas noites tantas vezes com orvalho nos

olhos, vamos levedando.

Por vezes o vento fecha-nos os punhos

em presto

e apaga-nos o sorriso.

Senhor das mãos grandes

e dos gestos omnipotentes,

sabemos que o futuro é um «bosque de bailados e

segredos»…

Na doação

que agora te fazemos,

pedimos-te o acolhimento

da nossa vontade desmedida de crescer

ainda que com hastes de esforço e espinhos de

silêncio.

As rosas estão ainda em botão.

Mas para além do orvalho dos olhos,

para além da secura das nossas raízes,

acreditamos na suavidade dos teus dedos de Pai

a abrir-nos,

pétala a pétala,

para as madrugadas do futuro.

(in, mas há sinais…)

3 comentários:

malu disse...

Querida Andorante,

O poema é magnifíco, muito bonito, e as flores devem ser espectaculares. Que bem que ficas no meio delas!

Grande bjinho

malu disse...

Obrigada por dares notícias e ainda bem que está a correr melhor e estás de volta.

outro*

Andante disse...

Olá Malufé
Foi uma prenda de anos, mas a melhor foi mesmo a do Ipo.

Beijos peregrinos e andorantes